Açúcar antes dos dois anos? Melhor não

Pelo menos é isso que diz o documento lançado pela Associação Americana para Doenças do Coração (American Heart Association). O problema da introdução do açúcar nos dois primeiros anos de vida é que ele irá moldar o paladar dos pequenos antes do tempo, podendo afastá-los de alimentos mais saudáveis.

Estamos falando do açúcar processado, presente em doces, bolachas e refrigerantes. O açúcar das frutas e do leite é permitido, a não ser que a criança tenha algum problema de saúde, como diabetes ou obesidade, o que requer um cuidadoso acompanhamento do pediatra.

Embora a pesquisa que embasou o artigo da Associação tenha sido feita em 2002, com crianças de 4 a 7 anos de idade, os especialistas defendem que os resultados são atuais e valem também para crianças mais novas.

Na pesquisa, durante dois dias, 83 crianças divididas em grupos de 4 e 5 anos e 6 e 7 anos de idade, tiveram testados os seus gostos por alimentos doces e azedos. Os pais responderam a um questionário sobre os hábitos alimentares dos pequenos quando bebês: se tomavam o leite materno ou fórmula infantil hidrolisada, que é mais azeda, com que frequência adicionavam açúcar aos alimentos, que tipos de cereal e doces eles julgavam ser preferidos pelos seus filhos, dentre outras perguntas.

A conclusão foi que crianças de 4 e 5 anos, alimentadas com fórmulas infantis hidrolisadas quando bebês, tendiam a preferir sucos azedos. Segundo os resultados, o tipo de leite consumido (materno ou fórmulas) não influenciou o gosto por doces.

Já as crianças, cujas mães costumavam adicionar açúcar em suas dietas, gostavam mais do suco de maçã adoçado e de cereais açucarados.

O que a Associação recomenda é que, crianças e jovens, entre 2 e 18 anos, devem consumir menos do que seis colheres de açúcar processado diariamente, orientação contida no estudo científico “Açúcares adicionados e o risco de doença cardiovascular em crianças”.

Embora pareça óbvio que o exemplo é tudo, muitos adultos querem estabelecer regras alimentares para os filhos e, no dia a dia, sãos os primeiros a não cumpri-las. Exigir que a criança “ande na linha” só mesmo para aqueles que seguem os combinados.

Então, como tem sido o uso do açúcar na alimentação das crianças sob os seus cuidados? Quais alternativas você utiliza para que elas fiquem mais tempo longe de doces, refrigerantes e afins? Conte aqui pra gente.

Fonte: Nexo Jornal

Leia mais

Sem açúcar, com afeto

6 orientações para evitar a obesidade infantil

Confira a página Desenvolvimento Infantil, da FMCSV, no canal do Youtube. Acesse, assine o canal e compartilhe o que é preciso saber sobre a Primeira Infância.

Comments

1
  1. avatar

    A coisa mais importante a ser retirada da vida da criança é a alienação parental, uma tortura psicológica que por acontecer dentro de casa, no seio da família, é violência doméstica contra a criança e vem sendo negligenciada e omitida pelo judiciário brasileiro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*