Dados mundiais apontam que melhor desempenho escolar começa na creche

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) acaba de lançar o documento Education at a Glance 2017, com dados do Brasil e de mais 40 países. Neste post, com base na publicação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que analisou as informações colhidas sobre o Brasil, vamos compartilhar o cenário da educação infantil brasileira.

Sobre a essa importante etapa do ensino, algumas informações merecem destaque e nos dizem respeito, já que a primeira infância vivenciada na escola impacta o desenvolvimento da criança de zero a cinco anos (creche e pré-escola).

Veja os principais achados do estudo:

  • Países que incluem em seus sistemas de ensino a educação infantil preparam melhor seus cidadãos para a experiência escolar futura. Segundo o Programa Internacional de Avaliação de Estudante (PISA), o desempenho dos estudantes de 15 anos, nessas nações, tende a ser melhor.
    A ciência também vem reforçando essa ideia. Aliás, aqui no blog, já falamos sobre o tema no post “Desenvolvimento humano só se constrói com educação”.
  • Também segundo o PISA 2015, o desempenho de estudantes que cursaram a educação infantil por dois a três anos é melhor do que os que a frequentaram por até dois anos. No entanto, como a ciência também comprova, educação infantil sem qualidade pode afetar negativamente o desenvolvimento da criança. Esse é o tema de um documento do Núcleo Ciência pela Infância (NCPI) que você pode acessar, clicando aqui.
  • No Brasil, a idade inicial do ensino obrigatório passou de seis para quatro anos em 2013, seguindo a tendência mundial de incluir a educação infantil no sistema. Para você relembrar como isso se deu em nosso país, sugerimos que clique aqui.
  • Em 2015, das nossas crianças com quatro anos, 79% estavam matriculadas na pré-escola. A média dos países da OCDE é de 87%. E mais: ficamos abaixo de nossos pares da América Latina, como Chile (86%), México (89%) e Argentina (81%). Estes dados nos mantêm em alerta. Afinal, precisamos atuar para que o direito à educação infantil de qualidade seja garantido a todos. O assunto é tão sério que falamos dele neste outro post: “Por que ainda não conseguimos acolher todas as crianças na educação infantil?

 

Sabemos que a educação é fator crucial na vida do indivíduo. Quando ela está focada nos primeiros anos de vida, essa importância aumenta. Por isso, cada vez mais precisamos falar dos problemas que ainda impedem que a maioria dos pequenos tenha acesso à escola e receba uma educação que, de fato, promova o desenvolvimento infantil. Foi o que fizemos ao publicar este post, dentre tantos outros, sobre essa questão: “As 5 qualidades e as 5 fragilidades da educação infantil brasileira”.

Vale a pena complementar sua leitura, acessando aqui um e-book que discute a educação infantil e coloca, lado a lado, a opinião de diferentes especialistas.

Quer conhecer o documento do Inep sobre a pesquisa da OCDE? Então, clique aqui!

Leia mais

Roteiro: contribuições da Base Nacional Comum Curricular para a educação infantil

O brincar: tema central da educação infantil

Confira a página Desenvolvimento Infantil, da Fundação Maria Cecilia, no canal do Youtube. Acesse, assine o canal e compartilhe o que é preciso saber sobre a primeira infância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*