O medo em cada fase da infância

O medo faz parte da vida. A forma como lidamos com ele é que são elas. Então, como ajudar a criança a enfrentar seus medos, desde os primeiros anos de vida?

A ideia com este post é dar subsídios para que você possa ajudar os pais a entenderem melhor os medos infantis, sabendo que eles são importantes para o desenvolvimento de seus filhos. Aliás, na dose certa, o medo é nosso aliado para a vida toda, porque nos alerta de algum risco que estamos correndo. Na infância, esse sentimento é uma resposta emocional frente a uma situação inédita e a capacidade de dominá-la.

A criança diz para o adulto que está com medo do monstro. O adulto sabe que monstros não existem, mas a criança não, porque ela ainda mistura realidade e imaginação. Dizer a ela que monstros não existem não irá acalmar o seu temor. Nesse momento, o importante é acolher e mostrar que ela está protegida e em segurança.

Outro comportamento que não agrega é menosprezar ou ridicularizar o medo, dizendo à criança que o que ela sente é bobagem, que ela é covarde ou algo do tipo. O sentimento dela é legítimo e precisa ser acatado.

Os medos infantis são mais intensos entre quatro e seis anos e começam diminuir aos sete, quando a criança tem mais subsídios para entender acontecimentos e situações.

Esse medo tende a aumentar diante do novo, como a mudança de casa, de escola, separação dos pais, morte de um familiar, ou quando a criança fica muito exposta a informações perturbadoras como guerras e sequestros.

No quadro a seguir, um resumo dos medos prováveis em cada fase da Primeira Infância (período da gestação aos seis anos):

Até os 6 meses – medo de ruídos fortes ou gerado pela sensação da perda de segurança.
7 aos 11 meses – a criança começa a distinguir rostos familiares. Pessoas estranhas tendem a assustá-la. Pode também ter medo de altura.
1 ano – medo de ficar longe dos pais, temendo que desapareçam. Esse medo começa nessa fase e se intensifica nos próximos três anos.
2 anos – a criança começa a entender a relação causa-efeito e experimenta sua falta de controle sobre o mundo, temendo barulhos altos como trovões, trens, aspiradores, além de médico, objetos grandes e criaturas imaginárias.
3-4 anos – a imaginação é muito fértil, por isso tem muito medo, especialmente de máscaras ou rosto coberto (palhaço, pessoas fantasiadas), escuro, monstros, insetos e de ficar sozinho.
5 anos – os medos são mais concretos: se machucar, trovão, ladrão, medo de cachorro e de se perder dos pais.
6-7 anos – nesse estágio do desenvolvimento seu senso de realidade é mais claro, porém ainda possui uma imaginação criativa, com medo de bruxas, fantasmas, tempestades, de dormir sozinho ou que algo ruim aconteça aos seus pais.

Para saber mais, leia a matéria que inspirou este post, publicada no blog Maternidade Simples.

Leia mais
Pra criança perder o medo do médico 
Os medos infantis e suas histórias 

Confira a página Desenvolvimento Infantil, da FMCSV, no canal do Youtube. Acesse, assine o canal e compartilhe o que é preciso saber sobre a Primeira Infância.

Comments

18
  1. avatar

    Oi meu filho tem 3anos e meio e desde o verão passado vem demostrado muito medo dos ventiladores de teto quando estão ligados. Fica muito nervoso, chora e quer sair do local. Gostaria de uma ajuda.

    • avatar

      Diane, algo aconteceu para ele ter esse medo? Se não, conversar sempre, mostrar que não tem perigo, dizer os benefícios que o aparelho traz, sempre respeitando as reações que ele tem, são maneiras de superar o medo aos poucos. Abraços.

  2. avatar

    Oi minha filha tem 3 anos e ultimamente está com muito medo do tio, após ele ter sofrido um acidente de moto toda vez q ela escuta a voz dele ela treme e quando ver então entra em desespero, já expliquei para ela q ele está machucado por conta do acidente mais ela não quer nem ir para o colo dele o q eu faço?

    E ela tbm tem medo de pessoas estranhas, pessoas q ela não convive e chega em ksa ela fica com muito medo e chora bastante me ajuda não sei o q faço nessa situação

  3. avatar

    boa noite. eu tenho uma filha com sete anos que ultimamente tem demonstrado medos que não eram habituais . a sua melhor amiga e prima foi viver para França e a minha pequena não consegue lidar com a separação. á alguns dias a prima regressou de férias e a sua tristeza e ansiedade diminuiram mas, após a sua partida regressaram, como mãe tento reconfortá-la mas começo a achar que os seus medos estão cada vez mais presentes. especialmente à noite. quando ela tem um momento de medo tem mal estar e já chegou a vomitar. o que devo fazer?

    • avatar

      Olá, susana graça. Se o que causa o medo é essa separação, a conversa e o acolhimento podem ajudá-la a, com o tempo, superar essa “perda”. No entanto, se isso se prolongar e abalar o bem-estar físico e mental de sua filha, vale a pena procurar um especialista para conversar a respeito. Abraços e boa sorte

  4. avatar

    Boa noite minha filha tem 4 anos ela está com medo de fica so dentro de casa e tem medo do escuro ela disse que tem um bixo dentro de casa e o veio do saco Ela disse que é na escola que a professora conta história como faço Ela chora e bota as mãos no olhos e fica chorado e diz que tem um veio do saco mim ajunda por favor

    • avatar

      Olá, Audenia Dantas Ferreira. Se sua filha diz que a história é contada na escola, vale a pena conversar com a diretora para saber o que tem acontecido nas aulas. O medo precisa ser acolhido, com paciência. Peça orientação à coordenadora pedagógica da escola. Boa sorte.

  5. avatar

    Bom dia.
    Vou falar um pouco do meu filho Ryan de 6 anos, de uns dias para ca ele vem apresentando muito medo, ele chega a tremer de tanto medo. Perguntei a ele do que ele estava com medo, ele disse medo de bixo e também medo de um jogo chamado robô assustador. Ontem dia 03/04/2017 antes de dormimos, chamei ele para conversar e bati um papo legal com ele falei para ele me avisar sempre que estivesse com medo, é porque sempre que ele ficava com medo ele ficava disfarçando. Consegui acalmar ele. Esse é um problema que deixa os pais muito confuso tentando entender oque esta esta acontecendo com a criança, Quem quiser saber mais sobre minha esperiencia entre em contato pelo email. isaac3459@hotmail.com

    • avatar

      Olá, Isac. Obrigada por compartilhar sua experiência. O apoio, o afeto, o diálogo são maneiras afetivas e positivas de ajudar a criança a superar medos e outras dificuldades. Abraço.

  6. avatar

    Ola meu nome e Mircia o meu filho tem 3anos e toda vez que dorme ele se assusta chora enquanto dorme e ate grita e sempre eu tento abraça lo dizendo filho a tua mãe esta aqui para poder acalma lo. O que eu faço ?

    • avatar

      Olá, Mircia. Nesses casos, é importante descobrir o que está causando esse comportamento. Primeiro, converse com o pediatra para que ele possa orientá-la. Talvez ele indique um psicólogo para estudar o problema. Abraços.

  7. avatar

    Meu neto de 1 ano e 7 meses tem medo de pessoas q não fazem parte de sua rotina, fica apavorado.Não posso receber visitas e nem ele participa de festas pk fk apavorado..o q posso fazer? Qual seria o problema?to muito preocupada.

    • avatar

      Olá, Silavana!

      Crianças com fobia de pessoas e contato social pode indicar autismo.
      É importante, porém, levá-lo a um profissional de psicologia, pois somente um especialista poderá dar um diagnóstico mais preciso.

      Obrigada pelo comentário!

  8. avatar

    O MEDO É
    A Doença mais mortal existente e enquanto não erradicarmos por completo este vírus…
    Nunca existirá um Mundo Livre da Miserável Crueldade.
    O MEDO.

  9. avatar

    Minha filha de 2 anos quebrou a perna em um pula-pula, por conta do gesso, várias ida sem médicos e uma pequena cirurgia de correção, ela está apavorada, qualquer pessoa estranha que chega em casa ela se desespera, chora e quer se esconder. Tento de tudo para acalma-lá, mas não esta fácil. O que fazer?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*