O peso na gravidez

A obesidade é um problema sério e se torna mais delicado quando a mulher obesa está grávida. O post de hoje é para que você, profissional da Saúde da Primeira Infância, possa ter um olhar mais apurado sobre o tema e argumentos que embasem as suas orientações às futuras mamães.

Durante a gestação, um dos cuidados mais importantes é com a alimentação da futura mãe, já que ela interfere diretamente no seu bem-estar e no do bebê. Segundo pesquisas recentes, cerca de 45% das mulheres brasileiras obesas ganharam peso após a gestação e 56% durante os nove meses.

Esses dados são um alerta. Por quê? Porque a ingestão de alimentos gordurosos e o excesso de peso na gestação tendem a provocar mudanças negativas no cérebro do bebê. Além disso, aumenta nessas crianças as chances de se tornarem adultos obesos também e de desenvolverem o diabetes tipo 2.

É claro que as gestantes precisam fazer um bom pré-natal e seguir as orientações do especialista, mas, em termos gerais, a partir do terceiro mês de gravidez, a futura mamãe deve ingerir até 300 calorias a mais do que o recomendado às mulheres. Ou seja, ela só pode consumir 2.800 calorias por dia.

Ganhar muito peso nessa fase é complicado. Mais complicado ainda é engravidar já com sobrepeso ou obesidade. Isto porque essa situação é fator de risco à gestante e à criança. A mãe pode desenvolver diabetes, pressão alta e pré-eclâmpsia. Por sua vez, o bebê também tende a nascer com sobrepeso e com problemas de desenvolvimento. A mortalidade de recém-nascidos é outro risco presente.

Tudo indica que mulheres nessas situações têm hábitos alimentares inadequados que, muitas vezes, permanecem após o parto, o que pode continuar afetando a criança durante a amamentação.

É importante que, no pré-natal e depois do parto, os especialistas definam uma dieta para as mães, especialmente as que estão acima do peso, com nutrientes, fibras, ferro e baixo teor de gordura. As refeições devem ser fracionadas, em pequenas quantidades, e ingeridas seis a oito vezes por dia. A mastigação também faz diferença e precisa ser devagar, assim como evitar líquidos durante a refeição. Para que haja uma melhor absorção do ferro, muito importante nessa fase, a dica é comer frutas ricas em vitamina C (kiwi, laranja, limão, acerola, tangerina e abacaxi).

Você já deve ter sido questionado por algumas gestantes sobre o quanto elas podem engordar durante os nove meses. A resposta é que esse valor varia de pessoa para pessoa, e só o especialista poderá defini-lo, mas a regra geral é:

Gestantes de baixo peso – até 15 kg
Gestantes com peso adequado – entre 10 e 12 kg
Gestantes com sobrepeso ou obesas – entre 6 kg e 7 kg

Quer saber mais? Então, acesse a matéria completa, que inspirou este post.

Comments

1
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*