Obesidade infantil também é um tipo de desnutrição. Você sabia?

Você, que atua na Saúde, focado na Primeira Infância, já deve saber disso, mas muitos pais desconhecem que seus filhos obesos estão desnutridos. Este texto pode ajudá-lo no seu trabalho de conscientização desses pais.

Muitos adultos associam o desnutrido àquele que está fraquinho e magro. Enganam-se. A desnutrição é o desequilíbrio entre a ingestão e a capacidade do organismo de absorver corretamente os nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e proteínas. Ou seja, se a criança é subnutrida (falta de alimentos) ou hipernutrida (excesso de alimentos) ela vive uma situação de desnutrição.

E quais são as consequências geradas pela falta de nutrientes na alimentação das crianças?

Perda muscular e dos depósitos de gordura, provocando debilidade física.

Emagrecimento ou obesidade.

Desaceleração, interrupção ou até mesmo involução do crescimento.

Alterações psíquicas e psicológicas, deixando a criança mais retraída, apática e triste.

O cabelo perde a cor (fica mais claro) e a pele descasca e fica enrugada.

Pode haver alterações sanguíneas, provocando doenças, como a anemia.

A má formação também pode ser grave devido às alterações ósseas.

Os estímulos nervosos ficam prejudicados e o número de neurônios diminuídos.

Também pode ocasionar alterações nos demais órgãos e sistemas respiratório, imunológico, renal, cardíaco, hepático, intestinal etc.

Fonte: Revista Pais & Filhos, 3 de fevereiro de 2014

Para prevenir o problema, é preciso cuidar especialmente da alimentação da criança pequena para que se garanta a quantidade correta de nutrientes, carboidratos, proteínas e minerais.

Para os bebês, a receita é o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade. Para as crianças a partir dessa fase, deve-se priorizar a ingestão de legumes, verduras, frutas e uma rotina alimentar.

A melhor maneira de se chegar ao cardápio ideal é consultando um especialista, mas já se sabe que consumo de doces, refrigerantes e outras guloseimas não agregam saúde à criança e precisa ser evitado.

As famílias de baixa renda  poderão contar com uma iniciativa pública, apoiada pela FMCSV, para cuidar de suas crianças: o projeto de Atenção Nutricional e Estímulo ao Desenvolvimento na Primeira Infância, do Ministério da Saúde, que também será implementado em algumas cidades de São Paulo, com a meta de articular ações conjuntas entre as áreas da Saúde, Educação e Assistência Social, para combater a desnutrição infantil e promover o desenvolvimento nos cinco primeiros anos de vida.

Foto: Leo Sanches

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*