Pesquisadores detectam se gestantes correm risco de parto prematuro

Os especialistas estão convidando gestantes a fazer um teste para identificar possíveis problemas que causam a prematuridade, realizando exames gratuitos em alguns hospitais do País. Você, que atua na Primeira Infância (período da gestação aos seis anos), pode indicar essa alternativa às grávidas sob seus cuidados.

O Dia Mundial da Prematuridade, em 17 de novembro, foi criado para combater um problema que atinge 15 milhões de crianças ao redor do mundo, anualmente.

No Brasil, os números são estes:

340 mil bebês nascem prematuros a cada ano
São 931 por dia
6 prematuros a cada 10 minutos
Mais de 12% dos nascimentos acontecem antes da 37ª semana de gestação
Esse número é o dobro do índice de países europeus

Para combater esses índices é possível prevenir a prematuridade. Esta é a proposta do estudo “Progesterona e Pessário cervical para Prevenir Parto Prematuro ou Estudo P5”, realizado pela Unicamp, SP, que avaliou trinta mil partos e concluiu que 70% dos prematuros acontecem por causas espontâneas que geram o encurtamento do útero e o sangramento vaginal.

Por isso, os profissionais estão disponibilizando um exame gratuito para grávidas. É um ultrassom transvaginal específico que detecta o encurtamento do útero. Caso o problema exista, a gestante receberá acompanhamento além de contribuir à continuidade da pesquisa.

Para a prevenção serão fornecidas cápsulas de progesterona ou um anel de silicone para fechar o colo e diminuir a possibilidade do parto antes da hora.

Para fazer parte da pesquisa, a gestante tem de estar entre a 18ª e 23ª semana de gestação e agendar o exame no site: www.prevenindopartoprematuro.com.br

No site também está a lista dos centros, em cada Estado, que oferecem o ultrassom. Os centros estão localizados nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Maranhão e no Distrito Federal.

Fonte: Exame detecta um dos principais riscos de parto prematuro, Jornal do Brasil. 

Leia mais

Por que o bebê nasce prematuro? 

O perfil dos nascimentos prematuros no País 

A Fundação tem um novo canal no Youtube! O acervo de vídeos traz temas importantes sobre desenvolvimento infantil. Clique aqui, assine o canal e fique por dentro das novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*