Por que Primeira Infância? Aspectos econômicos (Parte 2)

Acompanhe a parte final do estudo de James Heckman sobre a importância dos programas de intervenção educacional

No post anterior, apresentamos aos leitores alguns pontos importantes do estudo realizado pelo economista norte-americano James Heckman e como o investimento na qualidade da Educação Infantil  influencia no futuro das crianças. Tendo em vista a sociedade atual, as desigualdades sociais impedem que famílias carentes invistam em um ensino de qualidade para os filhos. Dessa forma, é preciso que o Estado elabore programas de intervenção educacional para melhor atendê-los.

Esses programas de intervenção voltados para as áreas de Educação Infantil devem ser aplicados no decorrer da Primeira Infância. Segundo Heckman, uma criança em contato com um sistema de ensino organizado tem maior probabilidade de conquistar um bom retorno financeiro no futuro. Com um aprendizado adequado, desenvolvem-se aptidões cognitivas e socioemocionais, o que colabora para que o indivídu se  adeque às exigências do mercado de trabalho.

Além disso, os programas educacionais promove a redução da criminalidade, aumentam a produtividade da mão de obra, diminuem a porcentagem de gravidez na adolescência e, sob o ponto de vista financeiro, geram altas taxas de retorno e representam uma ótima relação custo-benefício. Heckman vê as habilidades socioemocionais como uma ponto de partida importante para o sucesso socioeconômico. Os programas educacionais têm o poder de provocar a diminuição dos índices de desigualdade social, que é a solução ideal, pois permite a qualificação do capital humano.

O acesso à Educação Infantil  de qualidade é tão importante quanto o suporte familiar, pois a ação dos pais no desenvolvimento das crianças contribui para o amadurecimento socioemocional delas. A influência deles, aliada às políticas públicas, permitem que sejam desenvolvidas as habilidades não cognitivas, como a motivação, o controle emocional, a disciplina e a capacidade de interação social. Esses fatores,  moldados na Primeira Infância,  aumentam as chances profissionais.

As iniciativas em políticas públicas voltadas para a Educação contribuem para uma vida bem-sucedida.. As condições econômicas podem comprometer ou favorecer o crescimento das crianças. É preciso que haja projetos sociais que amenizem as desigualdades e que garantam melhor aprendizado na infância, desde os primeiros anos de vida.

 Fotos: Leo Sanches

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*