Roteiro de desenvolvimento infantil: contribuições da Base Nacional Comum Curricular para a educação infantil

Neste post, vamos explorar os principais pontos trazidos na Base Nacional Comum Curricular relacionados a educação infantil, e que serão debatidos em audiências públicas a partir de 7 de julho. É importante conhecer o conteúdo para ajudar a garantir qualidade nas creches e pré-escolas do País. Clique nos links sinalizados em azul para se aprofundar nos temas.

A terceira versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vai ser debatida pela sociedade no mês de julho. Até lá, teremos tempo para refletir sobre os pontos da educação infantil e levar nossas opiniões, agregando mais assertividade ao documento.

Antes, porém, vale lembrar que, embora reconhecida como direito de todas as crianças e dever do Estado, a educação infantil passou a ser obrigatória para as crianças de 4 e 5 anos apenas com a Emenda Constitucional nº 59/200928 e incluída na Lei de Diretrizes e Bases, em 2013. A inclusão da educação infantil na BNCC é mais um avanço no processo histórico de integrá-la à educação básica.

Os seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento das crianças na creche e pré-escola, nos quais se baseiam os objetivos de aprendizagem trazidos pela BNCC, são:

Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos, utilizando diferentes linguagens, ampliando o conhecimento de si e do outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas.
Brincar de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos), de forma a ampliar e diversificar suas possibilidades de acesso a produções culturais.
• Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo educador quanto da realização das atividades da vida cotidiana.
Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos, elementos da natureza, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a cultura, nas diferentes modalidades (artes, escrita, ciência e tecnologia)
• Expressar suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões, questionamentos, por meio de diferentes linguagens.
Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e de seus grupos de pertencimento, nas diversas experiências de cuidados, interações, brincadeiras e linguagens vivenciadas na instituição escolar e em seu contexto familiar e comunitário.

Para assegurar esses direitos na educação infantil, o BNCC define cinco campos de experiências com objetivos de desenvolvimento e aprendizado em cada um deles, por faixas etárias (creche – 0 a 1 ano e 6 meses; 1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses; pré-escola – 4 a 5 anos e 11 meses) .

Os cinco campos de experiências são:

  1. O eu, o outro e o nós
  2. Corpo, gestos e movimentos
  3. Traços, sons, cores e formas 
  4. Oralidade e escrita
  5. Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações

 

Outra contribuição importante, trazida pela Base, são orientações e a síntese do que se espera que a criança tenha adquirido na educação infantil para vivenciar a fase de transição à educação fundamental com mais tranquilidade, já que é uma etapa bastante desafiadora para ela.

No campo “O eu, o outro e o nós”, espera-se, por exemplo, que a criança saiba respeitar e expressar sentimentos e emoções, atuando com progressiva autonomia emocional.

Já no campo “Corpo, gestos e movimentos”, uma das expectativas é de que ela utilize o corpo intencionalmente (com criatividade, controle e adequação) como instrumento de interação com o outro e com o meio. E assim por diante.

Especialistas ainda divergem sobre alguns tópicos, mas uma boa parte reconhece que o caminho para diminuir as desigualdades educacionais passa pela Base, que precisa ser vista e revista para que, em poucos anos, consiga melhorar a qualidade da educação em creches e pré-escolas.

Conheça aqui a terceira versão, atualmente em análise, e participe das audiências públicas para dar as suas contribuições. Veja o calendário:

Região Norte, dia 7 de julho, em Manaus (AM)
Região Nordeste, dia 28 de julho, em Recife (PE)
Região Sul, dia 11 de agosto, em Florianópolis (SC)
Região Sudeste, dia 25 de agosto, em São Paulo (SP)
Região Centro-Oeste, dia 11 de setembro, em Brasília (DF)

Mais informações: Movimento pela Base Nacional Comum

Leia mais

Roteiro de desenvolvimento infantil: a importância da educação infantil

Entrevista – A educação é prioridade e tem de ser tratada como tal

Confira a página Desenvolvimento Infantil, da Fundação Maria Cecilia, no canal do Youtube. Acesse, assine o canal e compartilhe o que é preciso saber sobre a primeira infância.

Comments

3
  1. avatar

    Sou pedagoga da Educação Infantil e estou acompanhado os processos da BNCC, e estou completamente apaixonada ela veio para fazer a diferença na educação, os professores já estão oferecendo atividades pedagógicas para os bebês, através dos direitos de aprendizagem proposto no documento. Organização total nos currículos escolares.

    • avatar

      Olá, Lenise. Que bom que você tem acompanhado e presenciado progressos a partir da BNCC. O importante é que ela contribua para o desenvolvimento pleno das crianças, em todos os níveis da escola. Abraços e bom trabalho!

  2. avatar

    A melhor idade para aprendizagem, um desenvolvimento excelente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*