Seja bem-vindo ao nosso blog!

A Fundação Maria Cecília Souto Vidigal trabalha para estimular o Desenvolvimento Integral e Integrado da criança de 0 a 6 anos, por meio da geração e disseminação do conhecimento. Isso quer dizer que buscamos acompanhar todo o conhecimento relativo ao desenvolvimento da Primeira Infância e compartilhá-lo com aqueles que lidam com as crianças, especialmente os profissionais das áreas de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social, mas também os gestores públicos, responsáveis pelas políticas de atenção à Primeira Infância.

Para começo de conversa, vamos explorar um pouco o significado de Desenvolvimento Integral e Integrado da Criança. O nome é complicado, mas o conceito é fácil de entender. Com o avanço das ciências, que produzem cada vez mais conteúdo, acabou-se por organizar o conhecimento em grandes áreas nas quais os profissionais se especializam.

Há algum tempo, havia médicos, engenheiros e advogados. Depois, a condição de médico era muito genérica e passamos a ter pediatras, geriatras, ortopedistas, neurologistas e todas as demais especialidades. Para conseguir aprofundar nossos conhecimentos, foi necessário fatiá-los em pequenas partes. Essa organização trouxe bons resultados, mas também teve efeitos negativos. E um deles é o fato de que os objetos de estudo também foram fatiados, entre eles o próprio ser humano, ou no nosso caso, a criança.

A enfermeira enxerga uma parte da criança, a educadora da creche enxerga outra, a nutricionista percebe outra, a agente de saúde tem outro olhar, mas a criança não é um equipamento formado por dezenas de peças, operadas por diferentes profissionais. Ela é um ser vivo, único e para o qual cada experiência afeta o seu desenvolvimento como um todo, portanto, a criança vivencia o desenvolvimento de forma integral.

E por isso mesmo, precisa ser cuidada e atendida de forma integrada. Quando a criança sente medo e se agarra à professora da creche, não está tendo uma ‘vivência pedagógica’ diferente do momento em que ela abraça uma enfermeira. Ela espera de ambas a mesma proteção e acolhimento. Para entender essas necessidades e proporcionar um atendimento de qualidade às crianças pequenas, os profissionais das diversas áreas de conhecimento precisam ter uma visão integral da criança e trabalhar de forma integrada ou em rede, estabelecendo fluxos de encaminhamento e acolhimento.

A Fundação Maria Cecília Souto Vidigal acredita que existe uma ‘ciência’ do Desenvolvimento da Primeira Infância, que todos os profissionais que lidam com gestantes e crianças de até seis anos de idade devem conhecer. E que todos os programas e políticas para a Primeira Infância devem contemplar. Com este blog estamos dando mais um passo nesta direção.

Se você quiser saber mais sobre o trabalho da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, visite nosso portal.

E não deixe de mandar seu comentário sobre o nosso post.

 Fotos: Leo Sanches

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*