Sinal vermelho para alguns alimentos, até um ano de vida

Embora não haja consenso, parte dos especialistas orienta que pais e cuidadores não introduzam alguns alimentos considerados de risco nas refeições da criança pequena. Cabe a você, que atua com a Primeira Infância, dar o alerta e explicar o porquê dessas restrições.

Depois que o bebê completa seis meses de vida, a amamentação exclusiva ou fórmulas infantis não será suficiente para garantir-lhe os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. Por isso, é nesse período que a alimentação sólida, como legumes, verduras, frutas e cereais, deve se introduzida aos poucos.

No entanto, certos alimentos, até um ano de idade, são desaconselhados, porque podem provocar alergias ou maior risco de contaminação por toxinas e microrganismos, além daqueles que apresentam baixo valor nutricional ou aditivos químicos.

Sinal vermelho para:
Mel – Pode estar contaminado com esporos da bactéria Clostridium botulinum, responsável pela transmissão do botulismo intestinal. Um estudo verificou que 7% das amostras colhidas em seis estados brasileiros apresentavam a bactéria. No primeiro ano de vida, a flora intestinal ainda está em desenvolvimento e não consegue lutar contra ela.

Açúcar refinado ou mascavo – altamente calóricos e pobres em nutrientes. A ingestão excessiva, além de aumentar a concentração de insulina no sangue, também eleva a quantidade de adrenalina, causando irritação, ansiedade, excitação e dificuldade de concentração.

Refrigerantes – os do tipo cola contém cafeína, um excitante que pode afetar a concentração e aumentar a inquietude. Além disso, o refrigerante é rico em açúcar, corantes, conservantes, sódio e outros químicos.

Café – a cafeína é um excitante do sistema nervoso central. Em excesso desencadeia reações de estresse, com liberação de adrenalina e outros hormônios das suprarrenais. Também apresenta concentrações de taninos, substâncias que podem inibir a absorção dos outros nutrientes ingeridos na alimentação, principalmente de ferro. O mesmo alerta vale para chocolate, mate, chá verde, chá preto e refrigerante tipo cola, porque contêm cafeína.

Leite comum – contém quantidades excessivas de proteína além de proteínas complexas de difícil digestão que tendem a agredir a mucosa intestinal do bebê, podendo provocar alergia ao leite de vaca, perda sanguínea visível ou mesmo imperceptível nas fezes e anemia. A quantidade de sódio no leite comum é superior à recomendada, podendo sobrecarregar os rins do bebê.

Industrializados em geral – os chamados “alimentos práticos”, porque vêm prontos ou semiprontos, estão repletos de aditivos químicos, como corantes, conservantes, aromatizantes e estabilizantes. A quantidade de gordura, açúcar e sal nestes alimentos também é bastante elevada. Até um ano, o bebê precisa de menos de 1g de sal diariamente (370mg de sódio), ou seja, menos de meia colher de café por dia.

Há restrições também para o consume de frutos do mar, oleaginosas, alimentos com risco de engasgo. Essas informações você pode conferir na matéria que inspirou este post, publicada no MSN, e, depois, compartilhá-las com os pais.

 

Comments

1
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*