O economista norte-americano Richard Kohl durante sua visita ao Brasil

Terceiro Setor: Dr. Richard Kohl dá palestra no Brasil

Uma das grandes dificuldades enfrentadas pelas organizações do terceiro setor é como levar as experiências bem sucedidas dos projetos pilotos para grande escala, de modo a beneficiar um número maior de pessoas.

Preocupada com essa questão, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal convidou o Dr. Richard Kohl, um economista norte-americano especializado em expandir projetos sociais para uma amplo alcance, para uma visita ao Brasil.

Durante a passagem por São Paulo, Dr. Kohl deu uma palestra para associados do Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), na qual fez uma série de alertas importantes para quem tem interesse em ver seus projetos adotados em larga escala.

Ganhar escala é um processo complexo e trabalhoso

São necessárias três etapas:

  • Etapa de teste do projeto (piloto)
  • Processo preparatório para operação em escala
  • Operação em escala

Quem quiser ver seu projeto operando em larga escala precisa começar pelo fim, ou seja, começar pensar desde o começo como será a expansão para larga escala. Para isso é necessário fazer escolhas.

Escolher qual tipo de escala se quer alcançar (p.ex. municipal, estadual ou federal).

Escolher quais metas serão perseguidas: alcance, impacto, custo, etc.

Escolher desde o início quem tem condições de levar para a escala e quem tem condições de operar em larga escala.

O processo de levar um projeto para larga escala consome tanto tempo, dinheiro e trabalho quanto a operação em larga escala.

O conhecimento sobre a implementação e as ‘políticas’ que envolvem o projeto é tão importante quanto o conteúdo do projeto em si.

Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Dr. Richard Kohl, que já atuou em mais de trinta países, especialmente no Sul Asiático, na África Central e no Leste Europeu, pode ler um dos seus textos clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*