Vínculo na primeira infância: a base de sustentação para a vida toda

Neste post, vamos conversar sobre a importância das relações com a criança, que têm o afeto como “matéria prima”. Pais, educadores, profissionais da saúde… Todos são responsáveis pelo bom desenvolvimento infantil, que pressupõe vínculos sadios.

Você sabe de onde vem o termo vínculo? É do latim vinculum, que significa união duradoura. Por isso, quando reforçamos em nossos posts a importância de se estabelecer vínculos positivos com a criança, é porque as evidências científicas mostram o quanto eles, nos primeiros anos, são importantes para a vida de cada indivíduo, assim como podem ser prejudiciais se forem negativos.

Ao nascer, o bebê procura por proteção para sua sobrevivência. Por isso, geralmente, o primeiro vínculo que ele estabelece é com a mãe. Depois, normalmente, com o pai e, em seguida, com outros adultos de referência, presentes do seu dia a dia. A maneira como essa rede de acolhimento se forma pode favorecer ou não o bom desenvolvimento dos pequenos, que se sentirão seguros, autoconfiantes ou, ao contrário, abandonados e desprotegidos.

Ao crescer, se a criança construiu bons vínculos com os adultos, sua autoestima estará mais estruturada e suas chances de se desenvolver sadiamente aumentam.

A família, na maioria das vezes, é a responsável em garantir esse alicerce, essa proteção. No entanto, quando ela vive em condições adversas, como a pobreza e a violência, pode ter mais dificuldades de cumprir o seu papel. Por isso, o apoio do Estado e da sociedade é crucial para que, mesmo nessas situações, a criança possa se desenvolver bem.

Pesquisas indicam que nem sempre cenários vulneráveis geram pessoas violentas, dependentes químicos ou afins. Se o núcleo familiar estiver protegido de problemas como estes, a criança tende a se vincular sadiamente aos seus cuidadores e se fortalecer. No entanto, algumas vezes isto não é possível nesses contextos, e aí entra o  papel dos profissionais da saúde, da educação e da assistência social, em dar suporte a essas famílias.

Não é todo mundo que sabe, mas a educação infantil, por exemplo, é um espaço fértil para estreitar e qualificar os vínculos entre a família e suas crianças. Por isso, estar em creches e pré-escolas de qualidade é um ganho essencial, especialmente a pequenos em situação de vulnerabilidade social.

Estes e outros aspectos, assim como orientações de como garantir o apoio a famílias, são discutidos na publicação “Importância dos vínculos familiares na primeira infância”, do Núcleo Ciência Pela Infância (NCPI), que reúne especialistas de diferentes áreas para tratar do tema, traduzindo os achados científicos para uma linguagem acessível, que possa sensibilizar e mobilizar qualquer pessoa que queira dar a sua contribuição para que nossas crianças tenham acesso a uma primeira infância saudável.

Clique aqui e faça o download gratuito da publicação. Depois, compartilhe o link com seus amigos.

Boa leitura!

Leia mais

Falando sobre a importância do vínculo

Roteiro de desenvolvimento infantil: o nosso papel no começo da vida

Confira a página Desenvolvimento Infantil, da Fundação Maria Cecilia, no canal do Youtube. Acesse, assine o canal e compartilhe o que é preciso saber sobre a primeira infância.

Comments

2
  1. avatar

    Bom dia! Gostaria de saber o nome do profissional que fez essa publicação e dos seus títulos para citá-lo na minha monografia. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*