Visitas ao pediatra são mesmo importantes para o bebê?

Você, que trabalha com crianças pequenas e suas famílias, deve ter percebido que há pais que, quando o filho adoece, correm com ele para o pronto atendimento do posto de saúde ou de hospitais. É hora de você alertá-los sobre essa prática. E neste post vamos explicar por quê.

Não é incomum pais levarem sempre seus filhos pequenos ao pronto socorro quando ficam doentes, deixando de lado a consulta periódica a um pediatra, no consultório. Segundo uma recente pesquisa realizada nos Estados Unidos, com mais de 20 mil, crianças, esse hábito pode apresentar riscos.
Os especialistas descobriram que aquelas que não comparecem às consultas recomendadas pela Academia Americana de Pediatra, até os três anos de idade, correm duas vezes mais risco de serem hospitalizadas. As chances duplicam em caso de doenças crônicas, como asma e problemas do coração. O fato de não terem um especialista que as acompanhe, desde o nascimento, acaba impedindo a intervenção preventiva e detecção precoce de problemas.
Embora sejam resultados de uma pesquisa de outro país, segundo especialistas brasileiros esse comportamento é repetido no Brasil. Muitos pais até levam os filhos ao pediatra, mas só quando eles adoecem. Dessa forma, o médico não consegue conhecer a criança e a família direito e o atendimento fica mais imediato.
A função do pediatra, além de tratar da doença, é a de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento da criança, a chamada puericultura. Por isso, o ideal é que as consultas tenham uma duração maior para que os pais possam tirar dúvidas, receber informações sobre educação, alimentação, sono e prevenção de doenças e acidentes.
Aliás, essa troca com o pediatra deveria acontecer antes de o bebê nascer, no pré-natal, para que os primeiros momentos da relação entre filho e pais sejam mais tranquilos. Depois do nascimento, com o bebê em casa, o especialista vai acompanhar o ganho de peso, a amamentação, a presença de icterícia, coto umbilical, evacuações, testes do pezinho e da audição e estabelecimento do calendário de vacinação.

Para ajudar os pais a organizarem as visitas ao pediatra, vale compartilhar com eles a quantidade de consultas indicada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), de acordo com o tempo de vida da criança:

Uma consulta aos 5, 15 e 30 dias.
Dos dois aos seis meses, uma consulta ao mês.
A partir dos sete meses, uma consulta a cada dois meses.
A partir dos dois anos, uma consulta a cada três meses.
A partir dos seis anos, uma consulta por semestre.
Dos sete aos dezoito anos, uma consulta ao ano.

Para ler a matéria completa, que fala da importância do pediatra no desenvolvimento da criança, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*